Roberta Reis - Redatora Freelancer

Como fazer SEO, estratégia imprescindível para o redator freelancer?

Junte-se ao nosso grupo de redatores

Entre para a mellhor comunidade de redatores e receba os meus conteúdos com prioridade

Quer saber como fazer SEO?

Isso é muito importante, afinal, a maioria dos clientes solicita a utilização da estratégia nos artigos que o redator vai escrever para os seus blogs.

Mas por quê?

Porque a técnica, quando feita de forma assertiva, é capaz de levar um texto ao topo do Google de forma orgânica, ou seja, gratuitamente.

É por isso que eu sempre digo que ela é a "menina dos olhos" de todos os empreendedores.

E nesse artigo eu vou justamente ensinar como fazer SEO, mais especificamente como o redator freelancer deve apostar na estratégia para oferecer um diferencial aos seus clientes e se destacar no mercado.

Confira!

 

O que é SEO?

Antes de entrar no mérito de como fazer SEO, que tal entender primeiro o que é SEO?

Bom, é a sigla de Search Engine Optimization, ou otimização para motores de busca, em português.

Basicamente são estratégias que fazem com que um site ou artigo apareça na primeira página do Google de forma orgânica, ou seja, gratuitamente.

Nem preciso falar que ele é a "menina dos olhos" de todas as empresas, certo?

Mas não pense que conquistar o topo do buscador é assim tão simples quanto parece.

Isso depende de uma série de ações, como:

 - Usar uma URL estratégica.

 - Otimizar imagens.

 - Garantir um tempo rápido de carregamento do site.

 - Obter link building - quando outros sites indicam o do cliente.

 - Conquistar engajamento nas redes sociais.

 - Fazer SEO Title - o título que aparece no Google

 - Fazer Meta Descrição - aquele pequeno texto que fica na página de busca logo abaixo do SEO Title.

 - Manter periodicidade de publicações.

 - Publicar textos diariamente.

E você precisa conhecer tudo isso?

Claro que não!

Para o redator, quando falamos em SEO, falamos em conteúdo atrativo, parágrafos curtos, palavras-chave, listas e links internos.

Mas com essas estratégias o cliente vai conquistar o topo do Google?

Talvez sim, talvez não. 

Porém, se ele fizer todas as demais, que dependem dele mesmo ou de outros profissionais que venha a contratar, certamente conquistará.

O importante é que você deixe claro que o seu trabalho envolve apenas uma parte do SEO, o que já faz grande diferença para quem te contratar.

Mas jamais se venda como um redator especialista nessa técnica, a não ser que você efetivamente o seja.

Bom, voltando... alguns clientes pedem a publicação no WordPress (um sistema utilizado por muitas empresas para a criação das suas páginas na internet) e as otimizações para SEO na própria plataforma, o que requer SEO Title, Meta Descrição, imagem e mais algumas atividades.

Mas se eu fosse você não me preocuparia com isso agora.

Afinal, são poucos que precisam desse trabalho e você consegue preencher os seus horários tranquilamente sem eles.

Por enquanto vamos tratar dos itens de SEO essenciais para o redator?

Confira no próximo tópico!

 

Como fazer SEO, afinal?

Agora você vai entender como fazer SEO para se tornar mais competitivo no mercado, além de dar uma bela ajuda ao seu cliente para que chegue mais perto de conquistar o topo do Google.

Confira!

 

1- Conteúdo atrativo

Como fazer SEO?

Bom, primeiro é importante que o conteúdo seja atrativo para facilitar o ranqueamento do artigo no Google.

Para isso, basta usar as estratégias que ensinei nesse outro texto sobre como escrever para blogs.

 

2- Parágrafos curtos

Sim, eu sei que pelas normas de redação você só muda de parágrafo quando termina uma ideia.

Mas no caso do blog é preciso deixar essa regra de lado se quiser atrair o público para a leitura.

Tá, mas por que isso é tão importante?

Falando especificamente sobre o SEO, o robô do Google ranqueia mais facilmente uma página repleta de textos assim do que aquelas com artigos de looooongos parágrafos.

Mas a estratégia é também bastante interessante para a leitura em dispositivos móveis.

Isso porque a internet é muito mais acessada nos celulares do que nos notebooks e outros equipamentos.

Para você ter uma ideia, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o celular foi o principal meio usado para acesso à internet em 2016.

Segundo a fonte, o número corresponde a 94,6% contra 63,7% pelo microcomputador, 16,4% pelo tablet e 11,3% pela televisão.

Imagine como o percentual tem aumentado ao longo dos anos!

Então nós não vamos complicar a vida do leitor, certo?

No final das contas, os parágrafos curtos mantém a pessoa muito mais tempo em uma página ou artigo por conta da facilidade na leitura.

E é o que queremos!

Isso sem contar o fato de ela ficar bem mais agradável e prazerosa.

Portanto, inclua parágrafos de no máximo 3 linhas e não hesite em dar um enter mesmo quando a frase poderia continuar na mesma linha.

Dica de ouro: não se esqueça de conectar os parágrafos com palavras de transição: afinal, aliás, certamente, conforme, contudo, afim, a saber, além disso, ao mesmo tempo, etc.

Caso contrário dificilmente você vai garantir a fluidez do texto.

 

3- Palavra-chave

A palavra-chave nada mais é que uma frase com duas ou três palavras que precisa ser colocada em locais estratégicos do texto para que o robô do Google o leve a um bom posicionamento no buscador.

Como fazer isso?

Você vai usar a Keyword Planner, do Google Adwords.

Basta fazer o seu cadastro e depois colocar no campo Descubra novas palavras-chave uma palavra ou frase relacionada ao texto que vai escrever.

Mas é importante se atentar à localização.

Como assim?

Geralmente os clientes querem falar com pessoas de todo o Brasil, mas alguns podem falar com um público de um estado ou cidade específica (o que é muito raro).

Neste caso basta trocar Brasil, em Locais, localizado no topo da tela, pelo nome do estado ou cidade em questão. 

Com relação à escolha da palavra-chave, o ideal é que ela tenha cauda longa, ou seja, que tenha entre 2 ou 3 termos (como fazer SEO, que usei nesse artigo, é um bom exemplo), e também que tenha altas buscas mensais e concorrência baixa.

Isso significa que tem muita gente procurando por ela e poucos sites publicando. Então ela é perfeita para você!

Essa que utilizei, como fazer SEO, por exemplo, tem uma busca mensal de 100 a 1.000 com concorrência baixa.

Mas você vai encontrar opções com milhões de buscas mensais e concorrência baixa ou média. Essas palavras-chave são ainda melhores porque as chances de ranqueamento são muito maiores!

Já as de concorrência alta só devem ser usadas quando realmente não existirem palavras de concorrência baixa e média, afinal, elas mostram que tem muita gente publicando sobre o tema. E é claro que o seu artigo acabará concorrendo com todas essas páginas.

A quantidade baixa de buscas também não é interessante porque deixa claro que pouquíssimas pessoas estão procurando sobre o assunto e, portanto, ninguém vai ler, certo?

Legal, você já sabe como buscar palavra-chave, mas onde ela deve ser colocada no artigo?

- No título

- No primeiro e no último (ou penúltimo) parágrafos da introdução

- No primeiro e no segundo subtítulos (que são as listas ou tópicos) e nos seus primeiros parágrafos (dependendo da quantidade de subtítulos, ela pode ser acrescentada em mais alguns aleatoriamente).

- No primeiro e no último parágrafos da conclusão. Caso o seu texto tenha até 1000 palavras, não será necessária uma conclusão muito grande e, neste caso, coloque apenas no primeiro ou no último parágrafo dela.

 

4- Listas

As listas também são chamadas de subtítulos.

Sabe os bons e velhos temas com números, como "6 dicas de comidas de inverno deliciosas e muito saudáveis"? ou "5 dicas para se tornar um redator freelancer"? eles são ótimos exemplos de listas.

Além de esses títulos atraírem muito mais os leitores, o texto com subtítulos acaba aumentando o tempo de permanência na página porque ele fica mais organizado e a leitura simples e interessante.

E isso é muito importante para SEO.

Aliás, mesmo que não mencione números no título é essencial tentar incluir as listas nos artigos, a não ser que realmente não faça sentido.

Sim, dê preferência a elas ao invés daquele monte de informações corridas.

Considere que por mais relevantes que sejam, a própria visualização do texto corrido incomoda o leitor, fazendo, inclusive, com que nem comece a leitura na maioria dos casos.

 

5- Links internos

Incluir links internos é bastante simples.

Basta pegar um link de outro artigo do blog do cliente e incluir no atual, em cima de uma palavra ou frase relacionada a ele.

Nesse texto eu coloquei um link interno no tópico 1 sobre conteúdo atrativo. Dá uma olhada lá.

Entendido?

Um artigo de 500 palavras pode receber uns 3 ou 4 links internos em média e um de 1000 pode receber 6 ou 7.

Não existe uma quantidade exata, o importante é que o link leve a um texto que esteja relacionado com a palavra que o recebeu.

Portanto, caso a página tenha poucos textos ou nenhum relacionado ao artigo que está escrevendo, pode abortar a tática dos links internos.

Nada de forçar a barra, ok?

Essa prática faz com que o leitor não só trafegue em outros artigos do cliente, gerando maior engajamento com o site dele, como também permaneça mais tempo na página, algo essencial para SEO.

 

Agora que você já sabe como fazer SEO, inclua esse conhecimento nas apresentações e propostas que fizer aos clientes e comece a praticar a estratégia agora mesmo!

Artigos Relacionados

Comentários

Junte-se ao melhor grupo de redatores

Entre na lista de redatores para fazer parte do grupo exclusivo e receba os meus conteúdos com prioridade

X

[planilha gratuita]

Quanto é Possível Ganhar Como Redator Freelancer?

Descubra quanto um redator freelancer pode faturar por mês de acordo com o nível de experiência

Não tenho interesse, obrigado.

- Todos os direitos reservados - Roberta Reis